Mayara Franco e Tâmara Mansur – Mães e Filhas do Guará

1383

As mulheres estão cada vez mais ativas e participativas na sociedade, seja na política, no comércio, nas empresas e nas mídias sociais. Dois grandes exemplos mais próximos são as idealizadoras do grupo no Facebook, Mães e Filhas do Guará – Brasília DF, Tâmara Mansur e Mayara Franco. São elas, também, as promotoras dos principais eventos no Guará.
Tâmara é goiana, e mãe da Bruna e de Geovanna. Para ela, o momento mais sublime da sua vida foi sem dúvida o nascimento das filhas, e resume a dádiva em ter nascido mulher como “o poder de celebrar a magia de trazer novas vidas para este mundo”. A brasiliense Mayara, mãe do casal Ana Clara e Davi, concorda que a melhor parte em ter nascido mulher foi poder se tornar mãe e “sentir o inexplicável sentimento que cresce a cada dia”.

O grupo
O Mães e Filhas do Guará é um grupo fechado e só aceita mulheres, e serve como um ponto de encontro entre as mamães e/ou filhas da cidade. Nesse espaço virtual, elas podem compartilhar seus dilemas sem medo de serem julgadas, se inspirar através das histórias de outras mulheres do grupo, encontrar produtos e serviços que facilitem o seu dia a dia, trocar ideias e também aprender como planejar e gerir um negócio. O número de participantes no grupo passa de 30 mil.
O grupo tem o propósito de ajudar a gerar um impacto social positivo para as mulheres, promovendo o acesso à informação e a ações de capacitação empreendedora para elas, impactando de forma positiva para a diminuição da desigualdade e desenvolvimento econômico através da geração de renda. E também impulsionar o empoderamento feminino por meio da valorização profissional e para a qualidade de vida, já que incentiva o equilíbrio entre a vida profissional e familiar.

Eventos
Além de favorecer essa interação e colaborar para que as mulheres se sintam mais realizadas, o Mães e Filhas do Guará realiza alguns projetos sociais e eventos na cidade e estuda meios para executar ainda outros mais. Entre os eventos de maior destaque estão a Expomix Mães e Filhas, com exposição de artesanato, moda e alimentação. Quinta-Solidária, evento que acontece a cada dois meses, em que as moderadoras escolhem um determinado local carente para fazer doação de roupas e alimentos. São João do Guará, um grande evento junino que teve a participação de milhares de pessoas, e chamou a atenção pela organização e qualidade das barracas típicas e música ao vivo. “O São João do Guará foi criado a partir da manifestação dos moradores da cidade e tem o intuito de resgatar a tradição cultural das tradicionais festas juninas”, explica Mayara.
Realizações e conquistas como essas são realidade na vida das mulheres deste século, graças às batalhas travadas no passado. E toda mulher bem sucedida tem as suas fontes de inspiração. Tâmara Mansur não tem apenas uma figura exemplar que admira, mas segundo ela, “todas as mulheres que vão à luta, que fazem da vida complicada e do passado difícil motivos para se tornarem mulheres fortes e destemidas. Aquelas que mostram com atitudes que apesar da dificuldade para serem respeitadas profissionalmente vale a pena buscar o seu lugar ao sol e ser referência, têm o seu respeito”.
Para Mayara Franco, seus maiores referenciais são a sua mãe Vânia Franco e sua avó Divina Rodarte, duas guerreiras e vencedoras que a enchem de orgulho. E no cenário internacional, destaca Nísia Floresta Brasileira Augusta, uma das primeiras mulheres no Brasil a romper com os limites do espaço privado, publicando textos nos grandes jornais da época. Escreveu o livro “Direitos das mulheres e injustiça dos homens”, sendo a primeira obra a tratar do direito das mulheres à instrução e ao trabalho, exigindo que elas fossem consideradas inteligentes e merecedoras de respeito.

O Dia das Mulheres

No dia 8 de março foi comemorado em todo o mundo o Dia Internacional da Mulher. Flores, chocolates, poemas, mimos, mensagens e lembrancinhas são oferecidos às mulheres pelo companheiro, pelas escolas, em seus locais de trabalho, no Banco, na calçada em frente ao comércio, enfim, um dia todo voltado para elas. A data não se compara ao Dia das Mães, mas acaba incluindo um número maior de mulheres, já que no Dia Internacional da Mulher as jovens, solteiras, adolescentes e mulheres que optaram ou não puderam ter filhos recebem um carinho especial.
Também é sabido por todos que apesar de atualmente ser um dia comemorativo, a data é originalmente marcada por reivindicações, manifestações e tragédia. No início do século 20, as condições de trabalho erammuito ruins, com jornadas de trabalho de até 15 horas seguidas e muitos casos de abuso por parte dos patrões. As mulheres começaram a se mobilizar em diversos países, buscando melhores condições de vida e de trabalho. No dia 8 de março de 1917 aconteceu na Rússia uma marcante marcha com 90 mil mulheres e ficou conhecida como “Pão e Paz”.
Também em março, aconteceu a grande tragédia em que uma fábrica de roupas em Nova Iorque incendiou, e pelo fato de estarem trancadas no galpão, muitas pessoas morreram pulando pelas janelas e outros asfixiados pela fumaça, 146 pessoas morreram, destas 125 eram mulheres. O desastre, que é erroneamente citado como fato que deu origem ao Dia Internacional da Mulher, tem sua parcela de contribuição, porém aconteceu no dia 25 de março e não dia 8. Alguns países comemoravam o dia da mulher em fevereiro, outros em maio, mas a partir dos anos 70 a ONU (Organização das Nações Unidas) reconheceu o dia oito de março como o Dia Internacional da Mulher.
SHARE