Francisco Brandes – Ex-administrador que ficou mais tempo no cargo

213

Administrador regional do Guará de 1979 a 1985, Francisco José Pinheiro Brandes foi quem ficou mais tempo no cargo numa mesma gestão. E só deixou a Administração do Guará para assumir a Secretaria de Administração do GDF atendendo a convite do então governador José Aparecido de Oliveira.
Professor Brandes, como é mais conhecido, era professor de Matemática em Sobradinho quando teve o nome sugerido ao governador José Ornellas pelo senador José Sarney, de quem é conterrâneo e compadre, para que fosse o administrador do Guará. O próprio Brandes ria ao contar que na primeira visita que fez à cidade logo depois de indicado sequer sabia onde ficava o prédio da Administração Regional e se perdeu à procura do endereço. Mesmo envergonhado, teve que pedir informações para chegar ao seu novo local de trabalho.
Maranhense de Barra do Corda, Brandes, conquistou logo a população guaraense e fez muitos amigos na cidade com seu jeito simples, alegre e conciliador. Era época da ditadura militar, mas ele impôs uma política de ouvir todos os segmentos da comunidade antes de tomar as decisões. Era um período de mais recursos e de mais autonomia das administrações regionais – não havia Câmara Legislativa e nem parlamentares representando o Distrito Federal. Com essa autonomia, ele concluiu a construção do estádio do Cave, construiu o Ginásio Coberto e o Clube de Vizinhança II, o salão de Múltiplas Funções e a Feira do Guará.
Da Secretaria de Administração foi para uma das diretorias do Inmetro, sempre indicado pelo amigo José Sarney. De lá, para uma das diretorias do Sebrae/DF e depois foi nomeado delegado regional do Ministério da Agricultura no Distrito Federal.

Por causa das limitações físicas, Brandes tem se dedicado mais à família

Fatalidades
Em 2006, ainda no cargo de delegado, sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC), que lhe retirou parte dos movimentos e da fala. Obstinado, enfrentou uma pesada carga de exercícios físicos e de fonoaudiologia até recuperar boa parte do que a doença havia lhe tirado. Em 2007, outra fatalidade tirou a vida de um dos quatro filhos, Adriano, vítima de um infarto fulminante enquanto jogava futebol. Embora com as sequelas, Brandes continua lúcido e bem de saúde.
Hoje, aos 82 anos, dedica-se apenas aos seis netos (Bárbara, Amanda, Felipe, Marcela, Adriano e João Francisco), à mulher Cleidiomar e aos filhos Galeno (servidor da Caesb), Andrea (servidora do Tribunal de Contas do DF) e Francisco Brandes Júnior (promotor público da cidade de Cristalândia, no Tocantins) em sua casa na QI 10 do Lago Norte ele dedica boa parte do seu tempo a uma das maiores paixões, a literatura. Poeta e escritor, Brandes escreveu seis livros de poesia, entre eles Versos Diversos, Céu de Estrelas e Veredas de Minhas Quimeras.

SHARE