LOBEIRAS – Mutirão de Arte, Cultura e Formação no Guará

As Caixeiras Cia. de Bonecas realiza no Guará, entre 16 de março e 13 de julho de 2019, série de atividades com vista a incrementar a cena cultural e valorizar criações artísticas feitas por mulheres

1769
As Caixeiras Cia. de Bonecas, formada pelas atrizes e bonequeiras Amara Hurtado, Jirlene Pascoal e Mariana Baeta

Ao longo de quatro meses, LOBEIRAS – Mutirão de Arte, Cultura e Formação irá ocupar Praças e a Casa da Cultura do Guará com artes cênicas, música, literatura, dança e performance, em três eventos distintos, além de oficinas de formação gratuitas seguidas de mostra de apresentação de trabalhos dos participantes, a partir dos conteúdos assimilados. Concomitante aos eventos, acontece uma feira de artesanato com exposição e venda de produtos originários de várias RA’s do DF.

Mais que ocupar espaços na Região do Guará com arte, cultura e entretenimento, LOBEIRAS – Mutirão de Arte e Cultura foi desenhada de forma a enaltecer e difundir criações artísticas feitas por mulheres. Assim sendo, toda a programação, bem como grande parte da equipe de produção, é feminina. Para Amara Hurtado, integrante fundadora da Cia. As Caixeiras, “faz-se urgente e necessária a valorização e o reconhecimento da arte feminina e feminista do DF, por sua população”.

Dentre as artistas que se apresentarão pelo projeto e irão ministrar as oficinas estão: As Caixeiras Cia. de Bonecas, formada pelas atrizes e bonequeiras Amara Hurtado, Jirlene Pascoal e Mariana Baeta, em 2007, com o objetivo de pesquisar o Teatro Lambe-Lambe. O grupo tem quatro espetáculos no repertório e realiza oficinas e idealiza projetos culturais; Marina Mara, poeta e ativista cultural, atua pelo Brasil desde 2006 com projetos multimídia que abordam a poesia em diferentes formatos; Ana Flávia Garcia, atuante nas artes desde 1999, a atriz desenvolve processos criativos de dramaturgia temática em ações teatrais de sensibilização e arte-educação; Nãnan Matos, cantautora, percussionista e professora de música e dança do Oeste Africano, dedica seu trabalho e pesquisa às mulheres jovens e negras; Nadja Dulce, graduada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Ouro Preto, vive em Brasília onde pesquisa conceitos da interpretação e questões de gênero; e a Rede Pequi de Artesãs, grupo de empreendedoras de Taguatinga, Samambaia, Arniqueira, Ceilândia, Guará, Sobradinho e Alexânia que somaram forças na busca de meios de manter a produção, expor e vender seus produtos. Além das artistas citadas, serão convidadas seis poetas, duas cantoras, três lambe-lambeiras, duas performers e três DJs e dois espetáculos teatrais.

 

Dia 16 de março

Para a estreia do projeto, dia 16 de março, sábado, a Praça da QE 14 do Guará I receberá o encontro de todas as artistas que compõem a programação do projeto. Com início às 17h e que se estende até às 22h, o público terá a oportunidade e assistir, de graça, ao espetáculo A Incrível Mulher que Virou Jarro, com Ana Flávia Garcia; aos teatros de Lambe-Lambe Ataque de NervosCaixa de Mitos, A mensagem e Priscila, a Perereca, d’As Caixeiras Cia. de Bonecas; e Ensaio Geral, de Kika de Moraes (lambe-lambeira convidada); a performance CartoAmante, de Nadja Dulci; ao show África Vive em Nós, de Nãnan Matos; e acompanhar o Sarau de Poesia com Marina Mara, Cris Reis e Seira Beira. A programação se encerra ao som da DJ Pati Egito.

Dando sequência a evento de abertura, realizam-se três oficinas artísticas, na Casa da Cultura do Guará, sendo de: Teatro Lambe-Lambe, com As Caixeiras Cia. de Bonecas; Criação de Números Cômicos, com Ana Flávia Garcia; e Empoderamento Poético, com Marina Mara.

 

Lobeiras

16 de março – 17h ás 22h

Praça da QE 14

Espetáculo A Incrível Mulher Que Virou Jarro

Teatros Lambe-lambe

Performance CartoAmante

Show musical África Vive em Nós

Sarau de Poesia

Entrada Livre

SHARE