PT Guará celebra os 40 anos do partido

Presidente da zonal Afonso Magalhães explica os próximos passos da legenda

O Partido dos Trabalhadores completou 40 anos, no dia 10 de fevereiro. Ao longo da primeira quinzena de fevereiro, uma serie de atividades politicas, culturais e comemorativas foi organizada em nível nacional, tendo como carro-chefe o Festival realizado no Rio de janeiro de 7 a 9 deste mês.

No Guará, a festa dos 40 anos do Partido acontece, dia 15, em Ato Politico Cultural na QE 13, em frente à Feira, com a presença de militantes e simpatizantes, além de lideranças políticas do DF e músicos como Eleni Fagundes (Merceditas), Fred Brasiliense, Ito e Davi Doca (Banda A Noite Voa). A propósito da data comemorativa, o recém-empossado Presidente do PT-Guará, economista Afonso Magalhães, concedeu entrevista ao Jornal do Guará:

– Qual o legado principal do PT nesses 40 anos?

É um legado de defesa da democracia, da justiça social, dos direitos dos trabalhadores e de defesa da soberania nacional. A atuação da militância do Partido nos sindicatos, nos movimentos populares e movimentos sociais do campo é uma marca do PT. Além disso, no plano institucional, o modo petista de governar está enraizado na realidade brasileira, acumulando experiências exitosas de gestão democrática e compromissadas com o povo trabalhador, começando na prefeitura de Diadema (ABC paulista) em 1982 e culminando com os treze anos de governo nacional, com Lula e Dilma.

– Você entende que a população brasileira enxerga o PT dessa forma?

A sociedade é dividida por interesses de grupos e classes sociais, e isso se reflete no entendimento político, na visão sobre os partidos. E ainda tem prevalecido uma visão hegemônica de “criminalização da política”. E os partidos, obviamente, são alvo direto dessa visão, digamos, preconceituosa. Ainda assim, o PT figura como o partido preferido da população. O segundo colocado até ano passado era o PSL (partido do Bolsonaro), muitos corpos atrás do PT… Deve ser por isso que Bolsonaro criou outro partido que não tem “partido” no nome, sendo chamado de “aliança”.  Uma “malandragem semântica”.

– Mas a associação de “politica” com “corrupção” é algo que permeia a cabeça do brasileiro. Como dar respostas a isso?

A corrupção na politica partidária tem como foco o “financiamento privado das campanhas eleitorais”, incluindo aí o chamado “caixa dois”.  A proibição da doação de empresas e a implantação do financiamento publico de campanha –  defendidas pelo PT -, certamente vai ter reflexo na redução do trafico de influencia, do direcionamento de licitações, favorecimentos, propinas etc.

-E em relação à política na Capital Federal, qual o olhar do PT?

O quadro político aqui no DF é bastante desafiador para o nosso Partido. Aparentemente, houve um avanço do conservadorismo em Brasilia a partir de 2014. O PT foi demonizado e o Governador Agnelo idem. O bordão “a culpa é do petê” teve uma ressonância aqui acima da média nacional. Mas contra os fatos não há argumentos! Ou, no caso, argumentos vazios se perdem com o tempo! O legado do PT no DF é muito contundente: obras estratégicas como o BRT da região sul do DF e a valorização das carreiras dos servidores públicos, hoje taxados de “parasitas” pelos truculentos “neoliberais” que conduzem a política econômica no país. Além disso, tem o cartão do material escolar, a fábrica social, as UPAs, as creches públicas, o fechamento do CAJE e a ampliação das unidades do sistema sócio-educativo infanto juvenil e o apoio à agricultura familiar, que ganhou expressão social e econômica no DF com Agnelo.

E quais são as atuais prioridades do PT para o Guará?

A comunicação permanente com nossa base de filiados e o apoio aos movimentos populares da cidade são prioridades. O problema da entrega do CAVE para um “consórcio empresarial” é uma questão urgente. Querem explorar o espaço criando um clube de elite, inaccessível para a maioria da população. A privatização do Complexo do Mane Garrincha se coloca como péssimo precedente: ingressos caros e até cobrança de taxas para estacionamento que sempre foi gratuito. Defendemos a revitalização do CAVE com gestão direta do GDF! Parlamentares já se comprometeram a apresentar emendas para os reparos exigidos no complexo. Temos ainda as demandas em relação aos parques ecológicos e vivenciais do Guará, a manutenção dos equipamentos públicos e a questão da mobilidade que anda bastante comprometida em nossa cidade, além do preço absurdo das tarifas de transporte público.  Cobrar 5,50 reais no metrô é evidentemente abusivo!

Quais são os planos do PT para 2022?

A questão central é aglutinar os setores progressistas, movimentos e partidos, constituindo uma grande frente social, politica e eleitoral como alternativa ao Palácio do Buriti. É grande a insatisfação com o “modelo Ibaneis” de governo. O desemprego e a informalidade dispararam em Brasília! O arrocho nos salários dos servidores federais e distritais, incluindo os aposentados, está impactando direta e negativamente na economia de Brasilia. Além disso, o governo local reproduz a lógica neoliberal do Palacio do Planalto, com a “ideia fixa” de privatizar (e sucateiam os serviços públicos para “justificar” as privatizações). E mais: a exclusão das camadas mais pobres da população, com o contingenciamento no pagamento de benefícios sociais (e o fechamento das portas para novas inclusões), justamente aqueles setores que precisam desses benefícios para se alimentar, questão de sobrevivência de adultos e crianças…Controlar a “boca do caixa” dos cofres do governo às custas de quem tá passando fome é uma grande crueldade, além de mergulhar a economia numa espiral de recessão. Por conta disso, os governos Bolsonaro e Ibaneis serão derrotados em 2022.

SHARE