Reunião do Conseg, um canal entre a comunidade e a segurança pública

O encontro acontece uma vez por mês e a população tem voz ativa, autoridades mostram serviço

A reunião do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança do Guará) aconteceu no dia 21 de setembro (quinta-feira) no auditório da Administração Regional do Guará. Estiveram presentes autoridades de todas as áreas de segurança da cidade entre eles, Major Vieira comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, Johnson Kennedy delegado-chefe da 4ª Delegacia de Polícia, Major Quincoses do 13°GBM, o sargento Wilames do Batalhão Escolar, Yara Galdine representante do Detran, Gisele Lemes da Agefis, além do Administrador Regional do Guará André Brandão, o presidente do Conseg Antônio Sena e Wladimir Ponciano diretor da Secretaria de Segurança Pública e Paz Social junto aos Consegs.

No início do encontro marcado para as 19:40h, cada autoridade componente da mesa apresentou para a comunidade ações efetivas que postas em prática solucionaram alguns dos problemas relatados em reuniões anteriores. O Batalhão da Polícia Militar através do seu comandante Major Vieira fez um balanço das ações táticas do último mês. Quantidade de drogas apreendidas, casos de assaltos conhecidos ou não pela comunidade onde os assaltantes estão detidos e programas de prevenção às drogas idealizado pelo órgão.

É o que está acontecendo na operação “a praça é nossa”. A operação consiste em dar uma atenção especial às praças da cidade, local muito frequentado por meliantes usuários e traficantes de drogas. O resultado tem sido satisfatório. Cerca de 20 pessoas foram detidas e meio quilo de droga apreendida. É uma grande quantidade, levando em consideração que o conteúdo é encontrado de forma pulverizada, ou seja, em pequenas quantidades e separadamente. “Nossa tolerância é zero e vamos persistir nessa ação em prol de inibir usuários e traficantes de drogas na cidade”, pontua o Major Vieira.

Uma reclamação por parte da comunidade era referente a roubos frequentes à pedestres na quadra Lúcio Costa, devido a ações da PM foi mapeado os locais e horários que aconteciam os delitos. Uma mulher e dois homens da Estrutural foram apreendidos cometendo os crimes. As denúncias podem ser feitas pelo 99611-3587, plantão 24 horas.

Tanto o delegado Johnson Kennedy quanto o presidente do Conseg Antônio Sena, destacaram a importância do guaraense fazer o boletim de ocorrência. Atualmente em 12 cidades administrativas a violência tem sido combatida com mais intensidade, devido levantamento oficial, e o Guará não está incluso nessas cidades consideradas violentas. Na opinião do presidente do Conseg, algo está errado, pois segundo uma pesquisa, nossa cidade é a número 1 em sensação de insegurança. Ou seja, oficialmente o Guará não é uma cidade onde ocorrem muitos crimes (baixo número de boletins de ocorrência), mas na prática a população não se sente segura. Por isso, a importância do registro dos crimes, para que sejam tratados especificamente e a população se sinta segura.

Após as autoridades relatarem suas atividades, os moradores presentes na reunião puderam fazer novas requisições ou cobrar aquelas que ainda não foram atendidas. Carlos Emílio Sprogis morador do Park Sul solicitou uma atenção especial do Detran para um trecho próximo ao setor, onde segundo ele todos os dias acontece um acidente. Quiosques muito próximos ao retorno da EPIA dificultam a visão dos motoristas, o Detran vai analisar o caso.

José Gurgel destacou a importância da integração entre a Polícia Militar e Polícia Civil no combate aos crimes na cidade, mas para ele a pesquisa que aponta o Guará como número 1 em sensação de insegurança dos moradores não é verídica. Ele alertou as autoridades sobre a proliferação de construções ilegais nas “pontas” das quadras e cobrou fiscalização. Outra questão levantada pelo morador é que a população aumenta a cada dia, e não se ouve falar em aumento do efetivo de policiais, para ele essa área merece uma atenção especial das autoridades.

O professor Klecius Oliveira comemorou os avanços em relação a desocupação do Parque Ecológico Ezechias Heringer, e pediu que o parque seja completamente cercado para que novas invasões não aconteçam, muitos alambrados estão quebrados ou arrancados. E enfatizou: “Nosso parque é ecológico e não vivencial, ele deve ser protegido e não explorado. Aquele parque é para nos dar mais vida, mais ar, mais oxigênio.”

Ludmila Leite moradora da 28 denunciou um quiosque da quadra que instalou uma lixeira chumbada ao chão no beco entre conjuntos. A lixeira fixa atrapalha a passagem dos pedestres e carrinhos de bebês, e por estar fixada ao chão, o caminhão de lixo não consegue recolher o lixo, deixando o mal cheiro constante na quadra, Ludmila pediu à Administração uma providência para o problema. Tânia Costa, prefeita da Colônia Agrícola Águas Claras pediu ao Major Vieira que intensifique as rondas na área, pois o tráfico de drogas tem deixado os moradores preocupados. E ao Administrador André Brandão que a passarela do setor seja reformada, pois está bem deteriorada.

O Conseg se reúne uma vez por mês para discutir, planejar, analisar, e acompanhar as soluções dos problemas da comunidade, os quais se refletem na segurança pública. É um meio de estreitar a relação entre comunidade e os órgãos responsáveis pela segurança e administração da cidade, e fazer com que estas cooperem entre si. A participação dos moradores do Guará é extremamente importante, pois são eles que requerem das autoridades medidas que visam o crescimento e proteção da localidade.

SHARE