Que tal voltar a jogar queimada?

Atividades acontecem no Parque do Guará, três vezes por semana. Esporte foi muito praticado nas décadas de 60 a 80

387
Cerca de 40 mulheres participaram do último realizado quarta-feira no Parque Ecológico Ezechias Heringer

por Stephânia Walker Dourado

Tem quadra, bola, uniforme, tênis, suor, linguajar próprio, estratégia, regras e juíza, mas não é nenhum esporte que as pessoas estão acostumadas a ver ou praticar. Estamos falando da queimada, sim, aquela brincadeira que nos remete à infância, agora também é coisa de adulto e é levada a sério no Projeto Zoe. Perda de peso, melhoramento do sistema imunológico, diminuição do risco de doenças cardiovasculares, fim do sedentarismo, ajuda na definição dos músculos dos braços e pernas e agilidade no raciocínio estão entre os benefícios alcançados pelas participantes.

Zilianna é moradora do Guará e treinando há apenas um mês já nota os resultados positivos que a queimada trouxe

O Projeto Zoe é destinado somente às mulheres e os treinos acontecem na quadra poliesportiva do Parque Ecológico Ezechias Heringer, no Guará II, todas as segundas, quartas e sextas-feiras das 19h45 às 22h. A atividade é aberta a toda comunidade do DF e é totalmente gratuita – quem quiser pode adquirir a camiseta do projeto, criado em 2015, como com o nome de “Zoe”, que significa “vida”. “O objetivo do grupo é resgatar justamente essas brincadeiras da infância, do tempo que a criançada podia ficar na rua onde tudo era motivo para diversão. E escolhemos a queimada porque é uma atividade que não é muito comum atualmente, mas é muito querida pelas pessoas”, conta Jéssica Martins, uma das fundadoras do projeto.
Algumas pessoas fazem piada ou não levam a sério quando as mulheres falam que praticam queimada, de acordo com Luciana Leal da Silva, coordenadora do projeto e também professora de Educação Física. Ela informa que em outros países a queimada é considerada um esporte, porém no Brasil é classificada como uma atividade física ou recreativa. “Mas isso não quer dizer que seja só brincadeira, tem a descontração sim, mas é uma atividade física de médio a alto grau de intensidade devido à quantidade de quilômetros percorridos durante o treino e a rapidez com que é preciso se movimentar, arremessando ou se esquivando da bola”, explica.

Esporte e diversão
Zilianna Farrapeira de Lacerda é publicitária e mora no Guará há seis anos, está há apenas um mês no grupo de queimada, mas já vê os resultados dos treinos. “É muito gostoso, porque além de estar emagrecendo, você está brincando, se divertindo e sempre conhecendo gente nova. Eu acabei de me formar e estava ficando muito dentro de casa, odeio malhar e me encontrei na queimada”, afirma Zilianna, que chegou ao Projeto Zoe graças à sua prima também moradora da cidade que a convidou para participar.
A “brincadeira” é tão levada a sério pelas participantes que elas disputam campeonatos contra outras equipes no DF e ainda este ano pretendem competir na Bahia. “Temos a preparação para torneios, treinamos posições táticas, pegamos pesado também, mas não somos um grupo fechado, pelo contrário, estamos sempre de braços abertos para as novatas, mesmo para quem não sabe nada de queimada. Todo mundo tem oportunidade de jogar, se divertir, se arriscar e esquecer os problemas”, diz Jéssica Martins.
Além da melhor qualidade da saúde física, o Projeto Zoe também tem o objetivo de restabelecer a saúde mental das participantes, que, por muitas vezes, são mães, donas de casa atarefadas ou profissionais sobrecarregadas que nunca tiram um tempo para si. A partir da atividade física e da interação com outras mulheres, os resultados são os melhores, a autoestima aumenta, melhora o humor, se sente mais motivada e a percepção da vida fica mais leve.
Para participar do projeto basta comparecer ao local de treinamento no horário marcado, de preferência com roupas leves e de tênis, e já poderá participar. Ou, se quiser entrar em contato com antecedência e esclarecer alguma dúvida com a coordenadora Luciana no telefone 98115-5348 e nas redes sociais, Instagram: @projetozoedf e Facebook: Zoe Queimada.

SHARE