Campus Party traz laboratório Include para o Guará

Aulas de eletrônica, mecânica, programação, sensores, robótica, drones, impressora 3D, óculos de realidade virtual estarão disponíveis à comunidade, todas preparadas para pessoas com necessidades especiais. Aula inaugural do Laboratório Tecnológico Include foi muito prestigiada

2659

Em um espaço na QE 20 do Guará I, no Centro Comunitário Cisne Branco, ligado à Marinha, passa a funcionar o Laboratório de Tecnologia e Robótica Include do Guará. O Include é um programa que visa proporcionar oportunidades por meio da inclusão tecnológica para crianças e jovens estudantes de escolas públicas, moradores de áreas afastadas dos grandes centros ou áreas de vulnerabilidade social. Com aulas de eletrônica, mecânica, programação, sensores, robótica, drones, impressora 3D, óculos de realidade virtual, entre outros, os jovens são estimulados a desenvolverem soluções criativas para os problemas das suas comunidades.
Esse laboratório será o primeiro no Brasil a atender crianças e jovens com deficiência, por meio da tecnologia assistiva. Parte dos equipamentos como os computadores e as impressoras 3D são montados pela ONG “Programando o Futuro”, que recolhe e recondiciona computadores e recicla o lixo eletrônico. Uma equipe multidisciplinar formada por técnicos, professores e voluntários, coordenada pelas Voluntárias Cisne Branco, são os responsáveis pela execução dos laboratórios.

Ministro Marcos Pontes
Foto: Alexandre Motta

Aula inaugural
A cerimônia foi muito prestigiada. Além de contar com o comando e oficiais da Marinha brasileira, estiveram presentes a primeira-dama do país Michele Bolsonaro, o ministro de Ciência e Tecnologia Marcos Pontes, o senador Izalci, o General Vilas Boas, a deputada federal Paula Belmonte e seu esposo Luiz Felipe Belmonte, o secretário de Ciência e Tecnologia Gilvan Máximo, o presidente do instituto Campus Party Francesco Farruggia e a administradora regional do Guará Vânia Gurgel, além de diretores de escola e alunos.
Include

A primeira-dama do Brasil Michele Bolsonaro e a deputada Paula Belmonte interagem com as crianças
Foto: Alexandre Motta

A iniciativa está prevista para funcionar também na Casa da Cultura do Guará nos próximos meses. Os espaços atendem turmas semestrais de 25 alunos, entre 8 e 18 anos, com o cuidado para que toda turma seja formada por 50% de mulheres e 50% de homens. As aulas, que são realizadas duas vezes por semana durante quatro horas, seguem o método de ensino de robótica educativa TRON (Tecnologia, Robótica e Natureza) e incluem disciplinas como eletrônica, robótica, mecânica, sensores, entre outras. O material didático é o mesmo utilizado em escolas privadas e “espaços makers”.

O criador do projeto Francesco Farruggia conversa com o senador Izalci
Foto: Alexandre Motta

Através do E-learning os alunos aprendem através de recursos de texto, áudio e vídeo para difundir e potencializar o conhecimento. No local, eles recebem aulas de robótica e os laboratórios fornecem como equipamentos uma impressora 3D, drones, computadores, materiais didáticos e internet rápida. “O Include é importante porque vai mudar a vida das pessoas. Hoje nas comunidades muitos não sabem quais são as profissões que podem conquistar e através da tecnologia podemos fazer com que as pessoas possam crescer”, explica Francesco Farruggia, criador da Campus Party Brasil.

O Centro Comunitário Cisne Branco é ligado à Marinha do Brasil

A intenção das aulas nos laboratórios do Include extrapola o simples ensino da robótica, mas buscam inserir os jovens no mercado de trabalho, criando alternativas para que comecem a ganhar dinheiro desenvolvendo soluções para suas próprias comunidades. Para isso, a abordagem é altamente guiada pela prática e contextualizada pela realidade em que vivem.
“Um centro como este representa o cuidado com as pessoas. Permite que os jovens sonhem e alcancem seus sonhos, com ferramentas adequadas e de última geração”, destacou o Ministro e astronauta Marcos Pontes durante a cerimônia inaugural.

SHARE