Escola Técnica chega a 800 alunos

Capacidade é de 2 mil alunos. Serão abertos novos cursos até o segundo semestre. Escola ainda não tem laboratório de Informática, mesmo com curso da área.

1448

Inaugurada oficialmente em agosto do ano passado mas em funcionamento desde agosto de 2017, o Centro de Educação Profissional Articulado do Guará — Professora Teresa Ondina Maltese, conhecido como Escola Técnica do Guará, já atingiu 20% de sua capacidade total em fevereiro agora. Com os novos cursos que estão programados para os próximos meses, a ocupação deve chegar à metade da capacidade até o final do ano. Dos 800 alunos atuais, cerca de 500 são do curso de Enfermagem e outros 300 de Computação Gráfica. Estão abertas as inscrições para o curso Técnico em Informática, de curta duração, para alunos do Ensino Médio que estejam cursando o segundo ou terceiro ano, no período da tarde, do programa Mediotec, uma espécie de extensão do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do Ministério da Educação. São 40 vagas.
Até o meio do ano serão abertos novos cursos de curta duração – Corte e Costura e Jardinagem, que ainda dependem de autorização do Ministério da Educação. No segundo semestre do ano passado foram ministrados os cursos de Corte e Costura e Recepcionista. Esses cursos são abertos à comunidade, independente de idade e escolaridade dos interessados.

“O laboratório (de informática) está funcionando parcialmente porque fizemos parcerias com as faculdades particulares Projeção e Iesb”, explica a diretora Verônica Portácio

Para 2020, está previsto o curso Técnico em Nutrição, com duração de dois anos, mesmo tempo dos cursos de Computação Gráfica e Enfermagem, mas somente para os alunos do Ensino Médio da rede pública.
Embora ofereça o curso de Computação Gráfica, a escola ainda não dispõe de um laboratório completo para atender aos alunos e professores. De acordo com a diretora Verônica Portácio, os computadores já foram entregues, mas ainda faltam os programas específicos, que dependem de contratação por parte do Mec. A Escola Técnica do Guará também desenvolve um projeto de Robótica com 20 alunos dos ensinos Médio e Fundamental, de 8 e 9 anos de idade. “Esta escola é um centro de educação profissional que vai receber os estudantes do Guará, seja em turno contrário, seja de forma articulada com os colégios”, explicou o secretário de Educação
Para o coordenador Regional de Ensino do Guará, Afrânio Barros, a escola já nasce com espírito comunitário, atendendo à vontade dos moradores. “A escolha dos cursos (Enfermagem e Computação] é fruto de um trabalho conjunto com a sociedade. A proposta é inovadora, porque dá oportunidade ao aluno do ensino médio de ter educação técnica e regular em tempo integral.”

O que é a Escola
Técnica do Guará
São 12 salas de aula, refeitório, auditório e oito laboratórios, um deles chamado de Criatividade, com ferramentas diferenciadas que propiciam aos alunos baterem asas na imaginação. Outra novidade é o Centro de Línguas (CILG), integrado à Escola Técnica para propiciar o conhecimento da língua estrangeira a todos os estudantes.
Cada sala tem até 40 alunos. São quatro turmas de Computação Gráfica, quatro de Técnico de Enfermagem.. No noturno, a escola tem dois grupos de Técnico de Enfermagem e dois de Computação Gráfica. Ao todo, são 35 professores.
A Escola Técnica do Guará é fruto de parceria entre o Governo Federal e o do Distrito Federal, e custou R$ 11,7 milhões, sendo R$ 4,2 milhões do GDF e R$ 7,5 milhões da União. Os recursos da parte do GDF foram garantidos através de emendas parlamentares do deputado distrital guaraense Rodrigo Delmasso (PRB).

SHARE