MORENA EU QUERO CHÁ

Um frio de lascar, não sentia muita vontade de sair pra dar uma espiada na festa de São João do Guará que rolava lá pras bandas do Consei.
Tinha visto uma grande área cercada, imaginei que talvez mais uma construção surgiria por ali, trazendo mais moradores para a nossa cobiçada cidade, nem me toquei que ali aconteceria um dos maiores e mais tradicionais eventos nessa época do ano.
Na verdade eu gosto muito de festas juninas, ainda mais contando com o nível de organização das promotoras Mães e Filhas, que a cada ano parecem ganhar folego para fazer o evento ser cada vez melhor.
Não me arrependi, ouvindo ao longe o som do forró pé de serra pra lá de animado, onde o velho e inconfundível Gonzagão soltava a voz: “Havia balões no ar”, fui até lá e no terreiro uma multidão se divertindo na maior alegria que contagiava a todos, tinha gente de todo lugar. Velhos, crianças, jovens numa animação que fazia inveja a muitos eventos que paralelamente acontecem por aí em diversos pontos do DF.
São festas assim que o nosso Guará merece, fazendo com que a população saia de casa numa noite fria de junho, com toda a família para desfrutar de uma festa tão popular como o São João.
Tinha quadrilha, quentão, milho assado, enfim, tudo que uma boa festa de São João exige. No auge da folia junina, quando a quadrilha muito bem ensaiada, apresentada por um grupo de jovens, meus pés já não se continham e ameacei uns passos tímidos ao som das músicas que tocavam para a alegria de todos.
Apesar do calor da festa, o frio me atacava, a idade nos torna mais vulneráveis. Saí de fininho com aquele gostinho de quero mais, ainda ouço a voz de Gonzagão:
“Eu esse ano vou me embora pro sertão
Pra dançar pelo São João, farrear com mais de mil
Ver os velhotes atirar de granadeiro
E a moçada no terreiro tirar fogo sem fuzil”…
Quem foi gostou e muito, quem não foi aguarde, pois no próximo ano vai se melhor ainda, tenham certeza que os promotores da festa já devem estar pensando em como tornar esse evento uma marca tradicional não só do Guará, mas do DF.

SHARE