Incêndio destrói três apartamentos no Guará I

Um deles é da líder comunitária Cirlene Barbosa, presidente do Conselho Comunitário de Segurança do Guará (Conseg). Não houve vítimas

Três apartamentos foram destruídos pelas chamas do incêndio que atingiu parte de um edifício residencial da QI 8 do Guará I, na tarde deste sábado, 14 de setembro. O fogo começou num dos apartamentos ainda não identificado pela perícia, e se alastrou para os outros dois da prumada, destruindo móveis, roupas e utensílios dos três moradores. Num dos apartamentos atingidos, no primeiro andar, mora a presidente do Conselho Comunitário de Segurança do Guará (Conseg), Cirlene Barbosa, que havia alugado o imóvel enquanto reformava o seu, na mesma quadra. Ela conta que assim que recebeu o imóvel providenciou uma vistoria de um eletricista, que constatou que a fiação elétrica estava cheia de gambiarra e deveria ser trocada, mas a proprietária preferiu não providenciar o serviço. Cirlene, entretanto, não sabe se o fogo começou no seu, porque outra hipótese é que tenha caído um cigarro na cortina da sua sala, jogado por um morador de um dos apartamentos acima.

Não houve vítimas, porque os moradores saíram antes do fogo se propagar. O Corpo de Bombeiros atendeu uma idosa que teve uma crise nervosa e foi levada para um hospital particular e outra mulher teve alergia por causa da fumaça e foi atendida pelos bombeiros no próprio local.
O apartamento de Cirlene teve dois quartos – o dela e o do filho -, e um banheiro totalmente destruídos e outro banheiro foi danificado. Ela estava debaixo do bloco quando o fogo começou, mas o filho estava em casa e desceu correndo assim que as chamas começaram a se alastrar.
A Defesa Civil foi acionada para avaliar se houve avarias na estrutura do prédio e inicialmente interditou seis apartamentos da prumada do incêndio, mas liberou o acesso na tarde deste domingo.
O Corpo de Bombeiros realizou a perícia no local, mas ainda não sabe as causas e nem onde começou o incêndio.

Outro incêndio destrói casa na QE 34

Dois dias antes, na quinta-feira, 12 de setembro, o fogo havia destruído uma casa na QE 34 do Guará II. Apesar do volume das chamas, que podiam ser vistas a uma grande distância, não houve vítimas mas prejuízos materiais.
De acordo com vizinhos, o fogo se originado de uma vela, acendida pela dona da casa para fazer sua oração diária. A vela caiu e rapidamente as chamas se espalharam pela sala da casa e depois para os outros cômodos. Quando o Corpo de Bombeiros chegou, o fogo já havia tomado a cozinha e parte de dois quartos.
A dona da casa acabou inalando fumaça, mas foi atendida no local pelos bombeiros militares.

SHARE