Escolas públicas elegem novos diretores

O processo eleitoral já começou, com a inscrição das chapas. Comunidade escolar votará no dia 27 de novembro

O processo eleitoral para escolha dos novos diretores e vice-diretores das escolas públicas do Distrito Federal começou. Até o dia 21, os candidatos poderão formar as chapas e fazer as inscrições para as eleições, que serão realizadas em 27 de novembro.

Para concorrer aos cargos, as chapas deverão ser formadas por servidores efetivos e ativos da Carreira Magistério Público do Distrito Federal ou da Carreira Assistência à Educação do Distrito Federal. Para concorrer, também há exigência de que pelo menos um dos candidatos seja professor com mais de três anos de efetivo exercício em sala de aula.

Comitês
Quarta eleição geral para escolha democrática dos diretores e vice-diretores, nesta edição foram criados também comitês regionais, dentro das Coordenações Regionais de Ensino. “Eles serão o apoio das comissões eleitorais locais, que executam o passo a posso do processo eleitoral junto à comunidade escolar”, explica a presidente da Comissão Eleitoral Central, Danielly de Pádua.

De acordo com ela, o novo grupo será composto por servidores das próprias regionais de ensino além de representantes de sindicatos, pais, responsáveis e estudantes. “Nossa proposta com a criação desses comitês foi fortalecer o acompanhamento e supervisão das etapas do processo eleitoral, tendo em vista as regionais de ensino serem essenciais na concretização de todas as políticas públicas da secretaria”, explica.

A diretora Rizê Moreira, da Escola Classe 6

Importância dos diretores

Capazes de mudar completamente o rumo de uma escola e guiar os professores em busca da excelência, o diretor é um líder importantíssimo para toda a comunidade escolar. Um dos exemplos deste trabalho é a diretora da Escola Classe 6 do Guará, Rizê Moreira. Professora há 31 anos, está há dois mandatos à frente de sua escola. “Tive a oportunidade de trabalhar em prol da comunidade, trazendo benfeitorias e reformas na estrutura física da escola, como a reforma da cozinha, refeitório e copa, reforma dos banheiros dos estudantes, professores e servidores, a reforma do parque infantil e do fundamental, revitalização da pintura do prédio, das salas de aula e do muro, construção do piso da quadra poliesportiva, reforma da casa de bonecas e da sala de educação com movimento,  reforma de todos os quadros brancos. Todas essas benfeitorias foram possíveis através da execução orçamental do PDAF e de festas pedagógicas e culturais realizadas na instituição com a parceria da comunidade escolar”, enumera a diretora.

Prestes a se aposentar, a professora Rizê incentiva que outros professores assumam a direção da escola. “Reforço a importância da participação da comunidade oportunizada pela lei da gestão. Confesso que os desafios são diários para o gestor, porém receber o sorriso, o abraço e o carinho dos estudantes diariamente me traz a certeza de que o trabalho está surtindo efeito”, encerra Rizê.

 

SHARE