Dramaturgo guaraense lança duas peças em um só volume

Os textos são tentativas de relatos das contradições humanas no tempo contemporâneo e trazem marcas da vida brasiliense e as incoerências de quem vive na capital, no centro interior do país.

Ovelha Dolly & Zoológico a céu aberto é o nome do livro de Fernando de Carvalho que acaba de ser lançado pela editora Javali no Itaú Cultural em São Paulo. Fernando é morador do Guará a 34 anos e trabalha com teatro há 20.

As duas peças deste volume passam por uma fascinação pelo mundo dos animais, suas diversas dinâmicas de interação e convivência. 

Ovelha Dolly é uma peça sobre a famosa ovelha clonada em 1996. O texto é uma bufonaria humorística com os grandes campos simbólicos em que a ovelha se encaixa: Ciência, Arte e Religião. Joga com os símbolos da ovelha, um animal de sacrifício. Em cena, Dolly dará seu depoimento do processo de clonagem, fama, decadência e morte. Um depoimento de um animal, que marcou o início de um apocalipse biológico, articulado num rito sagrado chamado teatro.

Zoológico a céu aberto trata sobre a tragédia da social democracia brasileira e expõe questões da classe média em um formato ora trágico ora patético ora patológico. Cenas confecionais de um mundo enjaulado em quadrados, onde a palavra tem uma complexa relação com a cultura saturada de palavras, discursos e avatares holográficos de representações.

Fernando de Carvalho é dramaturgo, diretor teatral e bufão. Trabalha há dez anos com o Grupo Liquidificador. Bacharel em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília e com formação em direção teatral em Buenos Aires. Dentre seus últimos trabalhos montados estão Jardim das Delícias, Janta 2, TecnoMagia e Ovelha Dolly. Seus dois textos Ovelha Dolly e Zoológico a céu aberto participaram da 5• mostra Janela de Dramaturgia em Belo Horizonte. 

SHARE