Casa da Cultura do Guará vai receber Centro de Juventude

Serviços da Casa da Cultura do Guará serão ampliados para ajudar na capacitação e ocupação de jovens entre 15 e 29 anos. Espaço passará a se chamar Casa da Cultura e Juventude

Uma das novidades no pacote de investimentos apresentados ontem para o Guará é a ampliação das funções da Casa da Cultura com a incorporação de atividades voltadas para os jovens na faixa de 15 a 29 anos. A proposta é aproveitar as instalações e a localização do prédio para abrigar também um Centro da Juventude, que é espaço de convivência para a comunidade jovem, que estimulam a prática de mobilização, participação e inclusão social.

Os centros promovem o acesso à cultura, lazer, assistência social, esporte, qualificação profissional e educacional. A previsão é promover atividades de cultura, lazer, educação e capacitação profissional para até 600 jovens de uma vez. Já existem três Centros da Juventude no Distrito Federal – Ceilândia, Samambaia e Estrutural – e o Guará será o quarto. a previsão da Secretaria da Juventude é estendê-los aos poucos para todas as regiões do DF.

Com a ampliação das funções, a Casa da Cultura terá “Juventude” acrescentado ao seu nome oficial e a gestão transferida da Administração Regional do Guará para a Secretaria da Juventude. Os Centros estão previstos na Lei 5.142/2013 da Política Nacional da Juventude, e são responsáveis por serviços de atendimento e acompanhamento psicossocial individual e familiar e realização de oficinas de dança, música, informática, lutas marciais, fotografia e reforço escolar.

De acordo com o secretário de Juventude do DF, Kedson Rocha, o Centro de Juventude, além de ocupar os jovens com atividades, promove também capacitação para o mercado de trabalho através de cursos e palestras. “Com a descentralização dessas atividades para as regiões do DF, evitamos que os jovens se desloquem por distâncias maiores em busca de atividades longe de casa ou que não se sintam estimulados a buscar essas alternativas”, explica Kedson, que calcula que o Guará tenha cerca 30 mil jovens na faixa de 15 a 29 anos, parte deles sem uma ocupação fora da escola, parte dela na faixa chamada de “nem nem”, que não estuda e nem trabalha.

 

Protesto dos agitadores culturais

O anúncio de transformação da Casa da Cultura do Guará também num Centro de Juventude e a transferência da gestão da Administração do Guará para a Secretaria da Juventude provocou imediatos protestos do segmento cultural da cidade. Em grupos de WhatsApp, agitadores culturais manifestaram a preocupação com a perda do espaço da cultura para outras atividades. Um dos mais revoltados com o anúncio é o maestro Rênio Quintas, que nesta quarta-feira, 23 de setembro, encaminhou ofício ao Ouvidor da Câmara Legislativa, deputado distrital Daniel Donizet, acusando o deputado Rodrigo Delmasso de ter se “apossado da Casa da Cultura sem discutir o assunto com o segmento cultural”.

No ofício, Rênio critica o que ele considera como “estilo autoritário e centralizador” de Delmasso e acusa o deputado de usar a Administração do Guará como “filial da sua igreja Sara Nossa Terra”. Ele reclama também da devolução de uma emenda parlamentar do deputado distrital Robério Negreiros, no valor de R$ 500 mil, que seria destinada ao movimento cultural do Guará. “Essa proposta de mudança de nome e destinação da Casa de Cultura para “Casa de Cultura e Juventude” é uma clara tentativa de descaracterizar uma conquista nossa, da edificação que foi levantada por nós e transformando um outro espaço cultural”, diz o documento.

Para o deputado Rodrigo Delmasso, a manifestação do maestro Rênio Quintas e de outros agitadores culturais da cidade não se justifica, “porque o projeto não retira deles a Casa da Cultura e nem o espaço. Pelo contrário, vai ampliar a casa para mais usuários e transformá-la num espaço mais democrático ainda”.

O deputado acredita que, a partir da explicação do que a Casa da Cultura e da Juventude vai oferecer, a resistência vai ser reduzida.  “A casa vai continuar servindo à cultura, mas também com outras funções para ajudar o jovem, inclusive no empreendedorismo e na busca pelo mercado de trabalho”, completa o secretário Kedson Rocha, que conta sobre a Mostra Interna de Monólogos online oferecida pelo Centro da Juventude de Ceilândia recentemente, “com sucesso total”.

Inicialmente, serão instalados 15 computados na Casa da Cultura e da Juventude, com Internet, para uso dos jovens, com previsão de mais dez computadores nos próximos meses.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Solve : *
24 − 8 =