Delmasso deixa base do governo

PRB, novo partido do deputado guaraense, declara independência política de qualquer frente. A dúvida é se a Administração do Guará continua com Delmasso

112

De olho nas urnas, o Partido Republicano Brasileiro (PRB) anunciou nesta sexta-feira, 13 de abril, a saída do governo de Rodrigo Rollemberg (PSB). Com grande fatia dos votos evangélicos, especialmente das igrejas Universal do Reino de Deus e Sara Nossa Terra, a legenda, juntamente com o PV, era a que mais tempo estava na base aliada.
Quanto ao futuro dos cargos que ocupa na estrutura do GDF, o partido deixou nas mãos do governador. O socialista já havia dito que não manteria no governo indicações de não aliados. “Agora, o PRB pode consolidar uma frente alternativa para a população do Distrito Federal”, destacou o presidente da sigla, Wanderley Tavares.
Padrinho político da Administração Regional do Guará, o deputado Rodrigo Delmasso, um dos signatários da carta, garante que o objetivo não é fazer oposição ao governo, mas ter liberdade para escolher o melhor caminho do partido nas próximas eleições. A medida inclui também a saída do partido da Frente Cristã, formada por PPS, PSDB, PSD, PTB, PSDC, PSC e DC, anunciada há duas semanas, para dar suporte às candidaturas de Alírio Neto ou Izalci Lucas ao governo do DF.
Em relação à Administração do Guará, Delmasso espera que não haja mudança por causa da posição do partido. “Não estamos nos afastando do governo, porque vamos continuar votando o que for interessante para a população como um todo. O que queremos é mais liberdade para negociar com outras frentes, inclusive com o próprio PSB do governador. Vai depender dele se quer continuar como nosso aliado. Se ele tirar nosso espaço no governo, está sinalizando que não quer a nossa companhia”, explica.

Críticas ao governo
O documento fala em “resgatar com urgência e eficácia a prestação de serviços públicos”; diz que o DF deixou de ser “referência em saúde, educação, moradia, segurança, desenvolvimento social e econômico”; e avisa que, “no momento certo e ouvindo a população”, será definida a chapa que vai representar a aliança do conjunto de partidos signatários.
A “independência” preocupa o Palácio do Buriti, uma vez que o PRB tem dois votos na Câmara Legislativa: Julio Cesar e Rodrigo Delmasso. Os dois distritais já ocuparam, inclusive, o cargo de líder do governo na Casa.
Coube ao ex-deputado distrital e primeiro secretário-geral do partido, Evandro Garla, comunicar a decisão a Rollemberg (Com Suzano Almeida,
do Metrópoles).

SHARE